Contraste

Pressão da categoria e de estudantes faz reitor confirmar seu caráter monocrático e autoritário

Por Comunicacao
1 de Dezembro de 2017 às 10:00

Sem consultar o Conselho, ele cancela reunião que iria deliberar sobre jornada do Hucam e aumento do RU para discentes   


#Agoraégreve! O nono dia da greve dos TAEs na Ufes confirmou, novamente, que o reitor da universidade acredita que a instituição federal é uma monocracia. E ele é o rei, único e soberano. Em mais uma atitude autoritária e destemperada, ele cancelou, monocraticamente e sem consultar os demais conselheiros, a sessão do Conselho Universitário da Ufes (Consuni) desta quinta-feira, 30 de novembro de 2017, que aconteceria na sala das sessões dos conselhos superiores, na Reitoria, no campus de Goiabeiras, em Vitória. 

Antes de cancelar a sessão, ele ameaçou aprovar a pauta de deliberações ad referendum (sem consultar o Conselho para, na próxima reunião do colegiado, referendar suas decisões com o colegiado), mostrando sua total inabilidade política diante de um protesto legítimo que acontecia no momento da reunião.  
A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas sentadas, mesa e área interna
A sessão votaria pontos de grande interesse de trabalhadores e estudantes. Eles protestavam na entrada da sala dos conselhos, mostrando sua insatisfação com a possibilidade de o Consuni aprovar o aumento no bandejão do Restaurante Universitário e a mudança na escala de plantão do Hucam. 

O Consuni iria votar, dentre outros pontos: a flexibilização da jornada de trabalho do regime de plantão do Hucam (de 12 por 60 horas para 12 por 36 – que representaria a quebra da jornada flexibilizada e a adoção da jornada de 40 horas semanais); o processo de reintegração de posse da sede do Sintufes e também o aumento do valor do Restaurante Universitário, de R$ 1,50 para R$ 5, para estudantes.

“Trabalhadores e estudantes entraram na sala de reuniões dos conselhos superiores e decidiram que não sairiam dali sem que o reitor acenasse com o diálogo, com o debate sobre esses dois pontos da pauta. Ele, no entanto, não tem capacidade de dialogar democraticamente, decidiu, monocraticamente, cancelar a sessão do Conselho”, assinala o Comando de Greve do Sintufes.  

A imagem pode conter: 5 pessoas

Mais de 200% de aumento
Para estudantes, não há razão para o reajuste, de mais de 200%, pois a gestão da Ufes já fez cortes no bandejão e já aumentou o valor da refeição para os servidores. E aumentar para R$ 5 pode inviabilizar o almoço e janta (somados R$ 10 por dia, em vez dos R$ 3 atuais) para muitos estudantes.

Plantão
Os trabalhadores plantonistas do Hucam lutam pela manutenção da escala 12 por 60 horas, amparada pelo termo de acordo de greve, e que está em vigor no hospital há mais de 20 anos sem prejuízos no atendimento à população. 

É bom lembrar que os trabalhadores plantonistas RJU do Hucam fazem essa escala, pois ela está prevista na Portaria Hucam 30/2012, homologada pela Resolução 65/2012 do Conselho Universitário. Normativas que encontram respaldo no decreto 1.590/1995, que autoriza as autarquias federais a estabelecerem jornadas flexibilizadas visando otimizar o atendimento ao público.  

Uma nova sessão do Consuni deverá ser marcada em breve. E assim que a convocação for feita, o Sintufes informará a categoria. 


 

140 visualizações, 1 hoje

SINTUFES NA MÍDIA