Contraste

Categoria deliberou pelo enfrentamento e indicativo de greve para outubro, contra o desmonte da carreira e em defesa da Educação

Por Comunicacao
19 de Setembro de 2017 às 17:12

A próxima plenária da Federação será de 20 a 22 de outubro na cidade do Rio de Janeiro

Nesta manhã, 17, a Plenária Nacional realizada em Recife-PE aprovou o indicativo de greve para outubro, o plano de lutas e o calendário da Federação. Os delegados também aprovaram a suspensão das assembleias para eleição de delegados do XXIII Congresso da FASUBRA (CONFASUBRA).

Plano de Lutas

Para retomar a unidade, a FASUBRA vai procurar todas as centrais sindicais para propor  construção de um calendário unificado de lutas, que mobilize a classe trabalhadora brasileira rumo a uma nova Greve Geral. 

A luta pela revogação da Reforma Trabalhista também será incorporada. A Federação orienta que as entidades de base assinem a lista de apoio ao projeto de Lei de iniciativa popular que revoga a Lei nº 13.467, de 13 de julho de 2017, e a Lei nº 13.429, de 31 de março de 2017,e dá outras providências.

Será encaminhado ao Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe) uma proposta de construção de uma forte greve do funcionalismo contra a reforma da previdência e o pacote de maldades de Temer. Também será investido fortemente na organização do Fórum das Entidades da Educação.

A Fasubra orienta as entidades filiadas a organizar comitês unificados nas Universidades e demais  instituições de ensino superior.

O debate nas assembleias de base, no caso de impossibilidade da construção da greve do funcionalismo e  não descarta uma greve da educação federal, ou até mesmo uma greve da Federação em defesa da carreira, deve ser realizado e encaminhado à Federação.

Caso seja editada a Medida Provisória que ataca a Carreira, a Plenária autorizou a Direção Nacional da FASUBRA a antecipar o indicativo de greve.

A mobilização da Categoria deve ser intensificada com ações unificadas da comunidade universitária, como assembleias universitárias, audiências públicas nas Assembleias Legislativas e atividades nas Praças.

A construção da greve também deve ser intensificada, indicando um calendário de lutas unificado para o mês de setembro e primeira quinzena de outubro às  entidades da educação e ao funcionalismo. 

Também será importante a realização de paralisações e manifestações de rua, denunciando a crise das universidades, dos serviços públicos bem como a reforma da previdência e o ataque à carreira.

A Fasubra se dispõem a construir com as demais entidades, datas que contribuam com a unificação com o Fonasefe e  Fórum da Educação.

Jornada de Lutas

Setembro

28 e 29 de setembro – Dia Nacional de Luta - realização de Assembleias Universitárias e atividades extra  muros da Universidade.

Outubro 

03 de outubro - Dia Nacional de Lutas nas Universidades 

09 e 10 de outubro - Dias Nacional de Luta – com atos fora da Universidade  e atividades na praças, dialogando com a população.s

23 de outubro - Data provável para  Greve Nacional, flexível, em caso de acordos de greve unitária com outras categorias, em que precisamos ajustar a data da deflagração.

A Federação orienta rodada de assembleias na primeira quinzena de outubro, para discussão das propostas em todas as entidades de base, enviando retorno para a Fasubra.

20, 21 e 22 de outubro - Plenária Nacional da Fasubra com ato na cidade do Rio de Janeiro.

Eixos

Os principais eixos da greve serão a luta contra a reforma da previdência, revogação da reforma trabalhista, o pacote de reestruturação das carreiras e a defesa das Universidades e Institutos Federais.

Ações

  • Construir uma audiência pública com o Fórum Parlamentar em Defesa do Serviço Público no Congresso Nacional e nas Assembleias Legislativas nos estados e incorporar as agendas das Centrais Sindicais.
  • A Fasubra e as entidades filiadas precisam fazer ampla divulgação nas ruas, para disputar a opinião pública sobre a crise das universidades, o pacote de Temer contra o funcionalismo e as consequências da reforma da previdência.
  • Intensificar ações nas redes sociais de denúncia dos ataques do governo Temer.
  • Articular ações com as categorias de trabalhadores que estão em campanha salarial como os Metalúrgicos que estão articulados nacionalmente.Construir e fortalecer os Fóruns Estaduais do funcionalismo público federal.
  • Como resolução do último seminário de Hospitais Universitários (HU), convocar o Grupo de Trabalho dos HUs para discutir problemas e apontar ações.
  • Propor as centrais sindicais e movimentos sociais um grande encontro para construção de um calendário unificado que prepare uma nova greve geral no país.

CONFASUBRA

A proposta aprovada por ampla maioria, prevê a suspensão das assembleias para eleição de delegados para o Congresso da Fasubra. A avaliação da necessidade de adiamento ou não do XXIII CONFASUBRA será na próxima Plenária Nacional, prevista para outubro, na cidade do Rio de Janeiro (RJ). 


A resolução sobre o regimento do CONFASUBRA foi aprovado pela Plenária Nacional, apresentado pela comissão organizadora, cumprindo os prazos estatutários. Na próxima plenária serão discutidos e deliberados todos os destaques e pontos que as entidades de base e a direção da Fasubra tiverem interesse em discutir. 


Comissão de Mulheres

 

A Comissão de Mulheres da Fasubra Sindical apresentou o Relatório do Trabalho sobre  a denúncia de machismo e assédio moral na base do Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativos da Universidade Federal de São Carlos (Sintufscar), da cidade de São Carlos - SP. O documento foi aprovado por aclamação, o relatório completo e as deliberações serão divulgadas em breve.

Prestação de contas

Ao final, a prestação de contas foi apresentada ao plenário pelos coordenadores de administração e finanças Rolando Malvásio e Paulo Cesar Vaz e os representantes do conselho fiscal Leonir Tunala Resende (SINTUR-RJ), Mozart Roberio de Sá Siqueira (SINTUFEPE- UFRPE), Mauro Mendes (SINTFUB), Ademar Sena de Carvalho (SINTEMA), Rosangela Márcia Frizzero (SINTUFEJUF).

O parecer do conselho fiscal na prestação de contas da Federação no exercício referente a 2016 foi favorável a aprovação. Foram abertas as inscrições para que a plenária tirasse suas dúvidas. O parecer do conselho fiscal, favorável à prestação de contas do período de 2016 da Federação,  foi aprovado.
 

Foram aprovadas moções que em breve serão disponibilizadas.      

Assessoria de Comunicação Fasubra Sindical

Fonte: Fasubra.

304 visualizações, 1 hoje

SINTUFES NA MÍDIA